A Barralerta organizou a quinta palestra do projeto “Pensando na Barra 2009”, realizada neste dia 29 de setembro, com a palestrante Dra. Dayse Góis, Presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil, Departamento do Rio de janeiro, sob o tema Desafios da Política Habitacional – A participação das organizações civis e da iniciativa privada. Reunindo líderes de diversas associações e empresas, a Dra Dayse Góis afirmou que o Rio de Janeiro receberá 100 mil novas unidades habitacionais com o programa Minha Casa, Minha Vida, sendo que 90% serão feitos na zona oeste.

No evento foi apresentado o quadro habitacional de 1991 e 2000 que mostra o déficit habitacional e a inadequação de moradia. “A partir da década de 80, a Constituição Federal ganhou um capítulo sobre questão urbana e 11 anos depois veio a ser regulamentado criando o Instituto da Cidade. Os municípios, incluindo o Rio, agora estão revendo o Plano Diretor segundo o Instituto” ressaltou. Enquanto em 1991, havia um total de domicílios de 3.369.768 (cerca de 3 milhões e quatrocentas moradias), em 2000 já eram 4.265.471. Apesar do aumento de domicílios, o déficit que era de 8,36%, diminuiu para 6,89% em 2000.

“O déficit do Rio está caindo confirmando diversas pesquisas. A população do Rio está crescendo em ritmo inferior de outras cidades. O déficit acabou migrando para municípios com petróleo como Macaé e Angra. É importante discutir o assunto, porque agora que se discute novos investimentos como o Porto do Rio, o déficit provavelmente volta ao Rio” lembrou Dayse. A reurbanização das favelas feitas em programas públicos retirou a carência total, mas deixou muitas deficiências, segundo Dayse, que acredita que o programa Minha Casa, Minha Vida pode resolver o problema de adequação urbana, gerando uma cidade adequada. Enquanto foi feito um esforço muito grande de reurbanização em 750 favelas, surgiram mais 250 favelas novas. Por isto tem que ser revisto a agenda de investimento, pois estamos enxugando gelo. A agenda está equivocada” ressaltou.


Por outro lado, Dayse acredita em dois programas para resolver os problemas de déficit habitacional e inadequação da moradia, sendo um o programa habitacional dos municípios que prevê melhoria na infraestrutura e habitacional e o outro o da Minha Casa, Minha Vida com a entrada da iniciativa privada e a parceria pública permitindo moradias para baixa renda, com ocupação dos vazios urbanos existentes nas áreas mais desenvolvidas da cidade.

 

evento barra

 

Galeria