coluna kleber

Às vésperas da Olimpíada, exatamente a 10 meses do seu início, o Rio vive um momento dos mais inseguros dos últimos anos. Balas perdidas, morte de cidadãos inocentes e até de policiais, esses fatos vêm ocupando as páginas dos jornais e sendo visto nos telejornais diariamente.

Na nossa região que engloba Barra, Recreio e Vargens, não poderia ser diferente e, embora em nível inferior a nossa população ordeira tem sido agredida com um índice não aceitável de furtos, roubos, sequestros relâmpagos e assassinatos.


A sociedade civil organizada, frente a estes fatos, resolveu se mobilizar e, com o apoio dos empresários e da hotelaria, formou um Grupo de Trabalho para estudar com as autoridades de segurança, medidas e ações que possam minimizar o quadro de insegurança em que vivemos hoje.


O grupo de trabalho é formado pelos Presidentes das seguintes associações:


ACIR – Alfredo Lopes

ACIBARRA – Ney Suassuna

AMAR – Luiz Igrejas

BARRALERTA – Kleber Machado

Câmara Comunitária da Barra – Delair Dumbrosk


Conselho Comunitário de Segurança da 31º AISP- Cleo PagliosaRio Convention & Visitors Bureau – Claudio Magnavita


A coordenação do GT coube ao Presidente da BARRALERTA que vem convocando todas as instituições que podem colaborar com a finalidade a que objetiva: apresentar um plano de trabalho de interação entre o Estado e a iniciativa privada.


Nas duas primeiras reuniões o GT contou com a presença dos seguintes órgãos:


Secretária Municipal de Assistência Social

Secretária Estadual de Assistência Social

Promotoria Pública (MP da Barra)


31º Batalhão da Polícia Militar


16ª Delegacia de Polícia


42ª Delegacia de Polícia


Subprefeitura da Barra, Recreio e Jacarepaguá


Os resultados foram os mais satisfatórios uma vez que foi estabelecido um diálogo entre os vários órgãos que podem intervir para a melhoria na qualidade de vida da região, o que redundará no aumento da sensação de segurança.


Dois projetos estão sendo discutidos para implementação, o da VIA LEGAL que engloba a redução de vendedores ambulantes e flanelinhas não legalizados e, simultaneamente, o atendimento aos menores de rua em condições de vulnerabilidade ou de abandono, sendo explorados por adultos inescrupulosos. O segundo é o da implantação do monitoramento eletrônico da região, através de uma central montada e dirigida pelas associações comerciais e de moradores do bairro. Este último denominado “BAIRRO MAIS SEGURO” foi elaborado por técnicos e oferecido à BARRALERTA a custo zero. Nas próximas reuniões o GT vai receber questionamentos e examinará o custo de sua implantação.

A ideia básica é envolver toda a sociedade civil, em ambos os projetos. A Câmara Comunitária já reuniu os condomínios e obteve um apoio massivo a ambos os trabalhos. Carvalho Hosken e a rede hoteleira também já deram seu apoio. Esperamos que, através da ACIBARRA outros empresários deem suas adesões.

   

 

Kleber Machado